Como tornar as estradas mais seguras

Mario Jorge Leiderman
Engenheiro civil. Coordenador da Comissão de Segurança Rodoviária da Associação Argentina de Estradas

RESUMO:

Apesar da Década de Ação das Nações Unidas para a Segurança Rodoviária, as estatísticas mostram um aumento no número de mortes e ferimentos graves em acidentes de trânsito, principalmente nos países de renda média e baixa.

O processo de segurança viária vem mudando ao longo dos anos e hoje partimos do conceito de que todo ser humano comete erros; portanto, o sistema rodoviário deve ser projetado para que esse erro não signifique sua morte ou a do resto do mundo. Participantes do trânsito

Isso implica em uma mudança muito importante na participação de responsabilidades no acidente, o motorista ocupando um papel menos importante em sua produção, fazendo parte dessa responsabilidade transferida para quem projeta e constrói o sistema viário.

Por esse motivo, um país com infraestrutura rodoviária segura é aquele que possui um sistema viário tal que um erro involuntário do motorista não resulte em acidente fatal ou ferimentos graves. Por isso, em todos os casos, os programas e planos de curto, médio e longo prazo devem levar em conta as melhorias na infraestrutura viária na sua concepção e manutenção, tornando as ruas e vias mais seguras.

PALAVRAS CHAVE:

Tráfego, Tráfego, Segurança Rodoviária, Infraestrutura, Design, Zero Vision, Sistema, Acidente, Planejamento.

Os cookies nos permitem oferecer aos nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o uso de cookies. Consulte a política de cookies